17.7 C
Franca
janeiro 22, 2022
ARTIGOS TEC.

Veja tudo sobre como controlar a ferrugem do cafeeiro

TATIZA BARCELLOS – 30 DE DEZEMBRO DE 2021

Ferrugem do cafeeiro: conheça os sintomas da doença, quais são as condições favoráveis para seu desenvolvimento e qual a melhor forma de manejo

A ferrugem alaranjada é considerada a doença mais importante da cultura do café. Ela se destaca por causa dos muitos danos causados à lavoura.

Essa doença está disseminada por todas as áreas produtoras de café do país. Apesar disso, o Brasil responde como o maior produtor e exportador de café do mundo.

O que é a ferrugem do cafeeiro

A ferrugem do cafeeiro pode ser causada por duas espécies de fungos

No Brasil, a espécie responsável pela ferrugem alaranjada do cafeeiro é a Hemileia vastatrix. Esse é um parasita que necessita de tecido vegetal vivo do hospedeiro para se desenvolver.

A espécie Hemileia coffeicola causa a ferrugem farinhosa. Essa doença é menos agressiva que a ferrugem alaranjada. Não há relatos de sua presença nas lavouras brasileiras de café. 

Sintomas da ferrugem do cafeeiro

Os sintomas são observados primeiro nas folhas da saia do cafeeiro. Com a evolução da doença, os sintomas avançam para o topo da planta. 

Em qualquer fase do desenvolvimento, as folhas estão suscetíveis ao ataque do fungo.

Os primeiros sintomas da ferrugem no café são lesões claras nas folhas. Com o tempo, elas ficam necrosadas. 

A redução da área foliar diminui a fotossíntese da planta. Como consequência, o desenvolvimento do café é prejudicado.

Foto de folha de cafeeiro com sintomas de ferrugem. A folha apresenta pontos alaranjados e amarelados.

Folhas de café com sintomas de ferrugem causada por Hemileia vastatrix

(Fonte: Daily Coffee News)

Na parte inferior da folha, é possível observar massas de esporos. Elas têm aspecto empoeirado e cor amarelo-alaranjada. 

Foto de verso da folha do café com ferrugem. A folha está repleta de manchas alaranjadas.

Face inferior da folha de café com sintomas de ferrugem

(Fonte: World Coffee Research)

Outro sintoma provocado pela ferrugem é a desfolha das plantas. A queda precoce das folhas, associada à morte dos ramos, afeta a produção. 

A desfolha provocada pela ferrugem prejudica o vingamento da florada do café e dos frutos na fase de chumbinho.

Os sintomas dessa doença refletem nas próximas safras, com a queda da produção de frutos. 

Em casos avançados da doença, pode ocorrer a morte das plantas.

Dependendo da severidade, a doença pode reduzir a longevidade do cafezal, além de inviabilizar economicamente a atividade.

Condições ideais para a doença

Dentre os aspectos favoráveis à ocorrência da ferrugem alaranjada nos cafezais, destacam-se a umidade e a temperatura. Esses fatores interferem diretamente no ciclo de vida do fungo e no estabelecimento da doença.

As condições ideais para a ocorrência e o desenvolvimento dessa doença são:

  • alta umidade relativa do ar;
  • temperatura moderada, entre 22 °C e 24 °C;
  • ausência de luz direta;
  • presença de um filme de água na superfície das folhas.

Disseminação

A disseminação dos esporos do fungo Hemileia vastatrix acontece pela ação do vento e por respingos de água da chuva

Os insetos, as pessoas e alguns tratos culturais também são responsáveis pela disseminação da ferrugem.

No caso da poda, é muito importante fazer a limpeza das ferramentas. 

Uma lâmina de corte pode entrar em contato com uma planta infectada. Se, em seguida, ela encosta em uma planta saudável, pode disseminar uma série de doenças.

Dessa forma, mantenha as ferramentas de poda sempre limpas e afiadas.  

Como fazer o manejo da ferrugem do cafeeiro

Considerando a extensão dos danos causados pela ferrugem, o monitoramento da lavoura é uma importante ferramenta no manejo.

Quanto antes ela for detectada, maiores são as chances de sucesso no seu controle. 

Cultivares tolerantes e fungicidas 

O controle da ferrugem do cafeeiro é realizado pelo plantio de cultivares tolerantes/resistentes e pela pulverização de fungicidas químicos.

Os fungicidas à base de cobre são utilizados no controle preventivo da doença. 

Quando pulverizados na superfície das folhas, eles formam uma barreira tóxica. Isso protege a planta e evita o desenvolvimento da ferrugem.

Além disso, o cobre é um elemento essencial para a cultura do café. Seu uso melhora o estado nutricional das plantas. 

Os fungicidas do grupo químico estrobilurina e carboxamida têm ação sistêmica. Eles são  aplicados na parte aérea das plantas no combate à ferrugem.

Os fungicidas do grupo triazol também são sistêmicos, e podem ser aplicados via foliar ou via solo. 

Esses produtos podem ser utilizados em associação com inseticidas sistêmicos, como o tiametoxan e o imidacloprido, para o controle do bicho-mineiro do café.

Os ingredientes ativos registrados no Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para o controle da ferrugem alaranjada na cultura do café são:

● ciproconazol;

● mancozebe;

● tebuconazol;

● azoxistrobina + ciproconazol; 

● azoxistrobina + benzovindiflupyr.

Faça a rotação dos produtos químicos e siga as recomendações do fabricante quanto à forma de aplicação e dosagem dos produtos. Assim, o controle da doença não terá sua eficiência prejudicada.

Por se tratar de uma cultura com potencial de ser explorada por longos períodos, os cuidados com a implantação do pomar são de extrema importância. 

Por isso, escolha sempre cultivares resistentes às doenças.

As mudas devem ser adquiridas de viveiros certificados. Isso garante a sua procedência e a qualidade fitossanitária. Assim, você não coloca em risco a sanidade da sua lavoura. 

Espaçamento entre plantas

espaçamento do café também pode favorecer a doença. Quando adensado, o espaçamento favorece as doenças fúngicas devido às condições microclimáticas. 

Além disso, a proximidade das plantas dificulta a chegada dos defensivos agrícolas nas folhas localizadas nas regiões internas da planta. 

Isso interfere na eficácia do controle químico.

As podas são uma prática de manejo bastante utilizada na cafeicultura. Essa técnica contribui para melhorar a arquitetura da planta, promover maior luminosidade e arejamento da lavoura.

Ela também facilita a realização de outros tratos culturais, reduz a incidência de pragas e doenças, além de facilitar o controle fitossanitário.

Cuide do solo da sua lavoura

Em relação à fertilidade do solo, existe uma relação entre a deficiência de nitrogênio e a incidência de ferrugem alaranjada e cercosporiose.

A adubação equilibrada contribui para o bom desenvolvimento do plantio.

Além disso, melhora a capacidade de resposta das plantas frente às adversidades e minimiza os prejuízos causados por essas doenças.

Em resumo, as práticas que podem ser adotadas para o controle da ferrugem do cafeeiro são:

● aplicação de fungicidas químicos;

● plantio de cultivares resistentes/tolerantes;

● evitar espaçamento adensado;

● podas;

● adubação equilibrada.

Conclusão

ferrugem alaranjada do cafeeiro é uma doença presente em todas as áreas produtoras de café do Brasil.

Os sintomas da doença são muitos, e prejudicam a florada e formação dos frutos. Por isso, estar sempre de olho na sua lavoura é fundamental.

A disseminação dos esporos ocorre pela ação do vento, respingos de água, pelas pessoas, insetos e algumas práticas culturais.

O manejo da ferrugem do cafeeiro é realizado, principalmente, pela aplicação de defensivos químicos e pelo plantio de cultivares resistentes à doença. Faça o controle correto para evitar grandes danos na lavoura!

foto da redatora Tatiza. Ela está com blusa preta, casaco jeans azul, e está sorrindo na frente de uma paisagem cheia de plantas

Tatiza Barcellos

Sou engenheira-agrônoma e mestra em agronomia, com ênfase em produção vegetal, pela Universidade Federal de Goiás.

Related posts

São Paulo é o maior produtor de suco de laranja do mundo

Fabrício Guimarães

Medidas de combate à pandemia definem atualização da safra de café em apenas três etapas

Fabrício Guimarães

Molhação de mudas de café no campo, em veranicos, é muito vantajosa

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário