0 C
Franca, BR
abril 16, 2021
Notícias

Tempo: Forte massa de ar frio avança com risco de geada e até neve em áreas de milho, trigo e café

O mês de julho no Brasil começa com o avanço de uma grande e forte massa de ar frio de origem polar pelo país com potencial de geadas e até neve nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, abrangendo áreas produtoras de culturas de inverno, como o trigo, o milho 2ª safra e o café.

“Entre os dias 1 e 8 de julho, o país deve sentir um resfriamento muito intenso, que ocorre poucas vezes durante um inverno. Muito provavelmente será a mais intensa de 2019 e talvez só tenhamos uma com esta força este ano”, destacou a Climatempo.

De acordo com o modelo Cosmo do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o frio na região Sul começa já nesta segunda-feira (1º) e segue pelos próximos dias. Entre os dias 5 e 6 de julho, o frio avança sobre áreas do Sudeste e até Centro-Oeste.

“O pico desta onda de frio deve ser nos dias 5 e 6 de julho de 2019”, destaca a Climatempo convergindo com os dados do Modelo Cosmo do Inmet. A empresa ressalta que as temperaturas podem ficar negativas no Sul e próximas de 0°C no Sudeste e no Centro-Oeste.

No Sul do Brasil, as culturas de inverno estão em desenvolvimento. Segundo o Deral (Departamento de Economia Rural), o plantio do milho no Paraná está totalizado e com 34% de áreas colhidas, o trigo está terminando de ser semeado e o feijão e café estão concluindo a colheita.

Como o frio também pode chegar em áreas produtoras de café da região Sudeste, o frio intenso e as chances de geadas são temidas pelos produtores. Por volta das 9h20 (horário de Brasília), os futuros do café arábica subiam cerca de 400 pontos na Bolsa de Nova York.

“A geada poderá se formar de maneira generalizada sobre o Sul do Brasil, atingindo Curitiba e o norte do Paraná, e em áreas do Centro-Oeste e do Sudeste. Desta vez, a geada pode ser severa em áreas do Sul e do Sudeste, com danos para a agricultura”, ressalta a empresa.

A Climatempo ressalta ainda que possa haver geadas em áreas de Mato Grosso do Sul, em muitas áreas de São Paulo, incluindo a Grande São Paulo, no centro, oeste e sul de Minas Gerais, nas áreas serranas e no sul do Rio de Janeiro. Pode se pode descartar geadas no Centro-Oeste e friagem no Norte.

Apesar de essa ser uma das principais incursões de frio neste inverno, a Climatempo ressalta que segue a tendência de um inverno não tão frio para o Brasil por conta da influência do fenômeno climático El Niño, que é de fraca intensidade.

Antes de o frio chegar, alguns estados brasileiros terão chuvas que podem ser fortes e virem acompanhadas de raios. As precipitações podem chegar ao Sul, Sudeste, áreas de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás, mas não se descarta a chance de chover até no Distrito Federal.

“O acentuado choque térmico entre o ar muito quente que predomina no Brasil e a entrada desta massa de ar frio muito forte vai gerar também condições para fortes rajadas de vento”, destaca a empresa meteorológica. Com umidade e frio, não estão descartados eventos de neve.

“Se as condições forem confirmadas nos próximos dias, o mais provável é que a neve e outros fenômenos de precipitação de inverno ocorram nos dias 5 e/ou 6 de julho em áreas de serra do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, mas não se descarta completamente a ampliação das áreas com possibilidade de ocorrência destes fenômenos”.

Veja o mapa das áreas com a previsão de precipitação acumulada para os próximos 7 dias:

Nos próximos sete dias, de 01 de julho até 08 de julho, a previsão do tempo aponta que chuvas de moderada até forte intensidade podem se concentrar em áreas da região Sul e Sudeste, mas também chegam até localidades do Centro-Oeste. Também chove forte sobre o Norte. Na maior parte do país, segue o tempo firme.

Ainda nesta segunda-feira, segundo o Inmet, há alerta de baixa umidade para áreas de Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Tocantins.

Previsão estendida de chuvas para o Brasil

De acordo com o mapa de previsão estendida do centro de previsão da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês), no período de 01 até 09 de julho, as chuvas mais volumosas caem sobre áreas da faixa Norte do país, mas também voltam de leve a moderada intensidade ao Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

De 09 de julho até 17 de julho, as precipitações mais volumosas voltam a se concentrar sobre áreas ao extremo Norte do Brasil, praticamente cessam na maior parte do Sudeste e Centro-Oeste, mas seguem e se elevam em áreas da região Sul. A maior parte da região central do país terá tempo firme.

Veja o mapa com a tendência de precipitação acumulada para o período de 01 até 17 de julho:

Fonte: Notícias Agrícolas

 

 

Related posts

Agricultura e sustentabilidade para crianças

Fabrício Guimarães

Políticas estratégicas são pilares para competitividade do trigo

Fabrício Guimarães

Embrapa disponibiliza Instrução Técnica para avicultores e suinocultores sobre a COVID-19

Deixe um comentário