0 C
Franca, BR
abril 20, 2021
Pecuária

TÉCNICO DA EMATER-MG CRIA PLANILHA PARA CALCULAR ÁREAS DE PASTEJO ROTACIONADO

Uma planilha para cálculos e um software com imagens tiradas por satélites. Foi com essas duas ferramentas que um técnico da Emater-MG, do município de Laranjal, na Zona da Mata, aprimorou seu trabalho e agilizou o atendimento aos pecuaristas interessados em implantar o pastejo rotacionado na propriedade.

No sistema de pastejo rotacionado, o pasto é dividido em pequenas áreas cercadas e é promovida uma rotatividade por esses piquetes na hora do gado se alimentar. Geralmente, os animais ficam um dia em cada piquete e só retornam à mesma área quando o capim estiver no ponto ideal de ser consumido, sem comprometer a rebrota. Com o pastejo rotacionado, é possível garantir alimentação volumosa para o rebanho o ano todo, desde que também haja adubação adequada e irrigação nos períodos de seca.

“Antes, para fazer um projeto de pastejo rotacionado, era preciso ir até a propriedade, medir a área de pastagem disponível, ver quantas cabeças de gado o produtor tinha, fazer vários cálculos na calculadora”, lembra o técnico da Emater-MG de Laranjal, Elson Gomes de Castro.

Ele conta que a mudança veio quando criou uma planilha de cálculos, incluindo critérios como área para formação dos piquetes, número de animais, tempo de permanência em cada piquete, tempo de descanso de cada área, altura do capim no momento da entrada e saída dos animais, variedade de capim plantada e outros.

“Primeiramente identificamos a necessidade do produtor de acordo com a sua área disponível e quantos animais pretende alimentar. Diante disso, ainda no escritório, pedimos para o produtor localizar sua área disponível no programa Google Earth PRO e qual forrageira deseja implantar no projeto. Jogamos todos os dados na planilha que irá calcular automaticamente o número de piquetes, quantidade ideal de animais por piquete e a área de cada piquete”, explica o técnico.

A próxima etapa é fazer o desenho dos piquetes nas imagens do Google Earth PRO e imprimir este mapa para o produtor fazer as divisões dos piquetes na propriedade. “Geralmente eu levava um dia fazendo este trabalho, quando precisava ir até a propriedade. Agora levo cerca de 40 minutos no escritório para entregar tudo pronto para o produtor”, afirma Elson de Castro.

Ele explica, ainda, que toda vez que o gado sai de uma área, é preciso fazer a adubação da capineira. As recomendações para fertilização do solo são repassadas ao cliente de acordo com cálculos realizados em planilhas de interpretação de análise de solo já utilizadas pelos técnicos da Emater-MG.

Elson de Castro já utilizou o sistema de cálculo que criou para a implantação de dez projetos de pastejo rotacionado em Laranjal e outros dez no município vizinho de Barão do Monte Alto. Além disso, a planilha de cálculos de piquetes de pastejo rotacionado também está sendo usada por colegas de Emater de várias regiões do estado.

“Este projeto vai ao encontro da proposta da Emater de usar cada vez mais a tecnologia da informação. Estamos otimizando o trabalho do técnico, diminuindo custo para a empresa e, com isso, sobrando mais tempo para desenvolver outras ações. O produtor também fica satisfeito, porque recebe um serviço de qualidade”, afirma Elson de Castro.

O trabalho desenvolvido em Laranjal para cálculo de piquetes de pastejo rotacionado foi campeão regional do Prêmio MelhorAção 2020. O concurso é uma iniciativa da Emater-MG para eleger internamente as melhores ações implementadas por seus profissionais e que possam ser replicadas em outros municípios.

 

Assessoria de Comunicação – Emater-MG

Related posts

Neosporose bovina, um inimigo oculto da pecuária leiteira

Fabrício Guimarães

VACINAÇÃO CONTRA A FEBRE AFTOSA EM MINAS CONTINUA NESTE MÊS DE JUNHO

Sistema de Alerta para monitorar insetos-praga reinicia na região de Pelotas e na Serra Gaúcha

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário