0 C
Franca, BR
abril 16, 2021
Agricultura ARTIGOS TEC.

Molhação de mudas de café no campo, em veranicos, é muito vantajosa

A molhação das plantas de café, após o seu plantio no campo, é uma prática que garante o pegamento das mudas plantadas, sempre que houver um período seco. Por isso, é muito vantajosa, pois evita novos gastos, com a reposição de novas mudas e com serviços de replantio, sem falar no seu efeito positivo sobre o desenvolvimento inicial das plantas na lavoura.

O plantio de café na região centro-sul do país ocorre entre novembro e março, dentro do período chuvoso normal do ano. No entanto, pode haver ocorrência de veranicos, especialmente nos meses de janeiro/fevereiro, e mesmo em pequenos períodos, de 10-15 dias, podem causar danos às plantas ainda novas no campo.

As mudas plantadas mais recentemente, que ainda não tiveram tempo de enraizar no campo, contam com um sistema radicular ainda pequeno e superficial, restrito ao torrão, assim tendo dificuldades para ter acesso à água pouco disponível do solo. Essa falta de água acarreta escaldadura da folhagem, murcha, seca e até morte de plantas, e, mesmo não chegando a matar, provoca o sub-desenvolvimento das plantas. Assim, deve-se socorrer com molhações de forma preventiva, não deixando as plantas sentirem muito.

A molhação consiste em colocar uma pequena quantidade de água, de forma localizada, junto às mudas. A quantidade de água vai depender do tipo de solo, de sua umidade e do intervalo entre molhações. Normalmente se utiliza 3-5 litros de água por planta. O custo dessa operação vai depender da distância da lavoura e a fonte de água. Podem ser usados tanques rebocados por tratores, mangueiras e tubulações ligadas a bombas. Quanto maior a facilidade de obter a água melhor.

Outro aspecto da molhação é o mito existente de que não se pode molhar nas horas com sol. Isso não procede e pode dificultar o processo em plantios grandes, retardando o turno da molhação e comprometendo o plantio.

Dado o remédio, agora vai a prevenção, ou seja, aquilo que deveria ter sido adotado para evitar problemas. 1º) Deve-se fazer o plantio bem no começo da estação chuvosa, para que as mudas cresçam suficientemente até janeiro ou efetuar o plantio após janeiro. 2º) Usar mudas bem aclimatadas. 3º) Manter a linha de plantio livre de mato para evitar a concorrência por água. 4º) Usar, quando possível, material orgânico, no sulco/cova ou no pós plantio, para conservar mais a umidade. 5º) Usar cultura intercalar que proporcione um leve sombreamento, a fim de amenizar a insolação sobre as mudas. 6º) Fazer adubações equilibradas, para evitar um desequilíbrio entre parte aérea e sistema radicular.

Related posts

Ministra critica imagem negativa sobre agronegócio

Fabrício Guimarães

Procura diminui, mas moagem elevada sustenta preço da laranja em SP

Fabrício Guimarães

Governo de São Paulo e entidades se unem para criar políticas para o uso de drones na agricultura

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário