17.7 C
Franca
janeiro 22, 2022
ARTIGOS TEC.

Estudo mostra relação entre condição genética e preferência por café preto

Um estudo publicado na Nature Scientific Reports identificou a existência de uma base genética relacionada à preferência pelo café preto. De acordo com a pesquisa realizada por Marilyn Cornelis, professora associada de medicina preventiva na Escola de Medicina Feinberg da Universidade Northwestern, há uma predisposição encontrada nos genes de alguns indivíduos que justifica o gosto (isso também acontece com o chocolate amargo).

Outra descoberta interessante é que essa variação está conectada com o fato de algumas pessoas beberem uma quantidade maior de café do que outras. Marilyn explica que os portadores do gene metabolizam a cafeína mais rápido. Isso justifica a necessidade de reporem o café constantemente, já que os efeitos estimulantes passam de forma acelerada.

“Descobrimos que os bebedores de café com a variante genética que reflete um metabolismo mais rápido da cafeína preferem o café amargo e preto. Nós também encontramos a mesma variante genética em pessoas que preferem chá puro ou chocolate amargo e adoçado em vez do chocolate ao leite”, revelou.

Café preto é saudável!

Sim! Segundo estudos, o hábito de beber de três a cinco xícaras por dia está diretamente ligado à diminuição no risco de desenvolver comorbidades como doenças cardíacas, Parkinson, diabetes do tipo 2 e vários tipos de câncer.

Porém, os especialistas alertam: essa vantagem é potencializada quando a bebida é consumida de forma pura, pois não possui calorias. Adicionar açúcar ou leite no seu café o tornará calórico, o que interfere nos seus possíveis benefícios para a saúde.

Related posts

Saiba quais práticas de manejo favorecem a agregação do solo

Fabrício Guimarães

Tecnologia torna plantas de café resistentes ao bicho-mineiro

Fabrício Guimarães

Nematoides: Manejo na cana-de-açúcar

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário