0 C
Franca, BR
abril 9, 2020
Notícias Pecuária

Desempenho exportador das carnes na segunda semana de março de 2020

Como se constata pela tabela abaixo, à esquerda, as exportações de carnes da segunda semana de março (8 a 14, cinco dias úteis) sofreram refluxo em relação a idêntico período da primeira semana. Ou seja: a receita cambial, pela média diária, recuou de US$69,498 milhões para US$58,501 milhões, queda de quase 16%.

Com isso, a média dos primeiros dez dias úteis do mês, próxima de US$64 milhões/dia retrocedeu perto de 9,5% em relação ao mês anterior, enquanto comparativamente a março de 2019 apresenta evolução inferior a 2%.

Tudo isso, porém, tem pequeno significado em termos de receita ou, mesmo de volume. Porque – foi dito há uma semana – março corrente tem mais dias úteis. Assim, projetando-se os embarques já efetuados para a totalidade do mês (22 dias úteis) tem-se as seguintes perspectivas de volume:

– Carne suína: 65,3 mil toneladas- aumento de 12% e 38% sobre, respectivamente, o mês anterior e o mesmo mês de 2019;

– Carne bovina: 131,2 mil toneladas – aumento de quase 17% sobre fevereiro último e de mais de 10% sobre março do ano passado;

– Carne de frango: 330 mil toneladas – aumento mensal de apenas 1,75% e anual de cerca de 4%.

No tocante aos preços recebidos, até o momento apenas a carne bovina registra ligeiro retrocesso em relação ao mês anterior (-0,14% sobre fevereiro passado), enquanto comparativamente a março de 2019 é a carne de frango que sofre ligeira queda (-0,89%).

Isso, porém, não afeta a receita cambial, que deve crescer quer em termos mensais (+13% a carne suína; +18% a bovina; +3,6% a de frango), quer em termos anuais (+67% a carne suína; +33% a bovina; +3% a de frango).

Tags:

Related posts

Mercado atacadista de carne bovina: mercado interno versus externo

Fabrício Guimarães

Conab inicia primeira etapa da pesquisa dos estoques privados de café no país

Fabrício Guimarães

50ª Expoagro Franca divulga programação técnica da feira 2019

Deixe um comentário