0 C
Franca, BR
fevereiro 26, 2021
Agricultura Notícias

CAFEICULTORES DO SUL DE MINAS REALIZAM DEGUSTAÇÃO E VENDAS DIRETAS NO ESTADO DE SÃO PAULO

Por Valéria Vilela
Vilela0404@outlook.com

Cinco cafeicultores do Sul de Minas passaram o último sábado diferente, foram a Franca e ofereceram uma degustação aos clientes da loja Grão de Bico, a gerente Cleide, abriu o espaço para que seus clientes pudessem ter uma experiência diferente “ quando conhecemos os cafés do sul de Minas ficamos curiosos em conhecer a história de quem coloca tanto afeto na produção de grão de uma bebida tão importante para fazer amigos. ”

O ponto é tem exclusividade na venda dos grão do sul de minas em Franca, a parceria é resultado de relacionamento, “ desde de outubro de 2018 estamos fazendo viagens de negócios e abrindo novos mercados para nossos cafés industrializados, “ explica Suzana Santos que faz questão da parceria, “ é importante colocar amor, eu e Wilson (esposo) acreditamos que o café vem sempre acrescentar ao nossos relacionamentos.

Os clientes puderam experimentar e degustar bebidas de diferentes lavouras do sul de minas e experimentar a harmonizar Para Carlos Augusto, professor da Unesp, a experiência gastronômica de degustação de cafés especiais, com grãos selecionados foi única.

A harmonização é muito importante, quando você serve o produto errado as nuances dos cafés desaparecem, a nossa sócia Silvana confeccionou um grão de café revestido de chocolate belga o que fica perfeito com o nosso café, enfatiza Fabio Silva.

Já dona Dulce Franco, fez um pastel de nata com queijo da canastra que conquistou a psicóloga Bruna, que nunca tinha tomado café e acabou gostando.

A proposta de organizar a degustação e venda direta foi da jornalista Valéria Vilela, profissional que faz a assessoria de imprensa do grupo de cafeicultores do Sul de Minas. Valéria também é filha de cafeicultores e há 20 anos cobre o setor, acompanhando as lutas diárias para a sobrevivência dos pequenos produtores.

Os cinco cafeicultores envolvidos neste evento são pequenos produtores que resolveram industrializar os grãos dos lotes com maior teor doçura de suas lavouras. “A industrialização do café ajuda a melhorar a rentabilidade, principalmente na época que antecede a colheita”, explica Suzana Santos.

Já para Lucas José de Melo, com lavouras no município de Bandeira do Sul (MG) a experiência de fazer a venda direta do seu café em pacotes de meio quilo é agregar valor e trazer mais receitas “ fazer parte da associação dos cafés vulcânicos tem ajudado muito a cada dia aprendemos mais”.

. Para o cafeicultor Rogério Benassi, que foi o primeiro a expor o café do sul de minas para os consumidores da loja “ é um passo pequeno, mas conquistamos um clientes e damos exclusividade para a comercialização o que valoriza nosso produto e atrai novos consumidores para o ponto que nos deu essa oportunidade, “ ressaltou Benassi.

Junto com o grupo, também foi o representante da da marca Mata do Sino, que esta lançando o seu café gourmet, “ é um público diferente, onde cada cliente quer conhecer mais sobre o café que esta tomando, e quando oferemos cinco propostas diferentes os clientes aprendem e nos ouvimos quem gosta dos cafés do sul de minas, uma experiência profissional incrível.”afirmou Paulo.

“A degustação de cafés especiais em Franca (SP) foi um aprendizado, onde os cafeicultores puderam conhecer um pouco de como é o perfil do cliente e falar sobre o árduo, mas gratificante serviço nas lavouras mineiras”, disse Valeria Vilela.

José Tadeu, barista e diretor da Olinto Café, recebeu para um bate-papo com cafeicultores do Sul de Minas, mostrando a sua cultura, métodos de preparo e promovendo uma rodada de conversa. Os cafés foram servidos aos clientes da mais tradicional cafeteria de Franca com a presença dos cafeicultores.

Os clientes puderam experimentar e degustar bebidas de diferentes lavouras do sul de minas. “Conhecer alguns grãos e ter uma vivência diferente com a degustações de cafés especiais, métodos de preparo e harmonização com as quitandas preparadas pela Selma Bueno, da Dubom, foi uma experiencia única e importante”, explicou Suzana Santos, que junto com o esposo conheceram a tradição da cafeteria que é de propriedade de um produtor de café.

Related posts

Capina elétrica é opção para orgânicos

Fabrício Guimarães

A cotação da arroba do boi gordo está subindo

Fabrício Guimarães

Câmara aprova projeto de ajuda aos agricultores familiares

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário